(+351) 221 140 070 / 915 424 402 Chamada para rede fixa e móvel nacional
Clínica Dentária no Porto - Contactos
(+351) 221 140 070 / 915 424 402
Chamada para rede fixa e móvel nacional

A candidíase oral é uma infeção fúngica que afeta a área da boca e da garganta. 

Apesar de esta ser uma infeção cujo tratamento se poderá considerar mais fácil, é sempre importante procurar o acompanhamento de um profissional assim que os primeiros sintomas surjam. 

 

O que é a candidíase oral?

A candidíase oral é uma infeção que se desenvolve na zona da boca e da garganta. É conhecida também por sapinhos na boca e embora seja mais frequente em bebés ou em crianças mais jovens, a verdade é que a mesma pode manifestar-se em qualquer idade.

Na origem da candidíase oral está o fungo Candida albicans, um fungo benéfico que se encontra no organismo humano, mas em pequenas quantidades. Ora, quando estas quantidades aumentam nas mucosas, nasce a infeção da candidíase oral.

Normalmente, a proliferação deste fungo ocorre devido a perturbações do sistema imunitário. Por isso mesmo, um organismo mais sensível ou debilitado está naturalmente mais propício a contrair a candidíase oral.

É também por esta razão que os bebés ou os mais idosos acabam por representar os grupos etários com mais probabilidade desenvolverem candidíase oral.

 

Quais os sintomas da candidíase oral?

Os sintomas da candidíase oral são variados e podem diferir de pessoa para pessoa, dependendo também da gravidade da infeção. 

Entre os sintomas mais comuns para a candidíase oral podem verificar-se:

  • Boca seca;
  • Pequenas manchas brancas ou amareladas na língua, gengivas, interior das bochechas ou no céu da boca;
  • Lesões esbranquiçadas nos lábios, gengivas e língua;
  • Dor ou sensação de queimadura, especialmente ao ingerir alimentos ou líquidos;
  • Dificuldade em engolir;
  • Vermelhidão e inchaço na zona afetada; 
  • Mau hálito;
  • Sangramento, em casos mais avançados em que as lesões bucais são maiores ou não tratadas.

Em bebés e crianças pequenas, a candidíase oral pode ser mais difícil de reconhecer uma vez que a expressão dos sintomas acaba por ser um pouco mais difícil de detetar. 

Nestes casos, deve prestar-se atenção quando o bebé se recusar a mamar ou a comer, ou no caso de manchas brancas na boca – os famosos sapinhos na boca. Se isso ocorrer, consulte um pediatra ou um odontopediatra.

A falta de tratamento da candidíase oral pode levar a sintomas mais graves e ao desenvolvimento de outras infeções mais sérias.

Causas da candidíase oral

A principal causa da candidíase oral é o aumento excessivo do fungo Candida albicans nas zonas da boca e da garganta. Esta infeção fúngica surge quando existe um desequilíbrio da flora bucal cuja origem se pode encontrar nos mais diversos fatores.

O fator mais comum tende a ser a existência de um sistema imunológico enfraquecido ou comprometido, normalmente devido a doenças imunodepressoras, tal como o HIV ou a diabetes.

Ao mesmo tempo, também os bebés e os idosos acabam por estar mais suscetíveis ao aparecimento da candidíase oral, devido ao seu sistema imunitário naturalmente mais frágil.

Outra das causas da candidíase oral reside também no facto de esta ser uma infeção contagiosa, através do contacto direto entre as pessoas.  

Além destas, o uso excessivo de medicamentos ou antibióticos podem também provocar o aparecimento da candidíase oral, uma vez que estes poderão eliminar as bactérias benéficas das mucosas que previnem a proliferação do fungo Candida albicans.

Uma higiene oral inadequada permite a acumulação de fungos e bactérias na boca, e, por conseguinte, contribui igualmente para o desenvolvimento da candidíase oral. É importante manter a boca, dentes e gengivas sempre limpos e saudáveis para prevenir esta e outras infeções.

No caso de utilizar próteses dentárias é também importante que mantenha uma higiene mais cuidada, de forma a impedir a proliferação de bactérias e a acumulação de sujidade na prótese e na boca o que, por sua vez, poderá dar origem ao aparecimento de candidíase oral. 
 

Candidíase Oral

Como prevenir a candidíase oral?

Para prevenir a candidíase oral, é essencial adotar cuidados com a higiene oral e um estilo de vida saudável que ajude a manter o equilíbrio da flora microbiana da boca. 

Na prática, a prevenção da candidíase oral está muito associada às melhores práticas de higiene oral e ao estilo de vida. 

Nesse sentido, ações simples tais como a escovagem dos dentes duas vezes ao dia, a utilização de fio dentário e uma destartarização de 6 em 6 meses, por exemplo, são ações essenciais que contribuem não só para a prevenção da candidíase oral como contribuem para a manutenção da sua saúde, em geral. 

Se utilizar próteses dentárias, limpe-as diariamente conforme as instruções do seu dentista. O mesmo se aplica a quaisquer aparelhos dentários que possa usar.

Depois, procure prestar alguma atenção ao seu próprio estilo de vida. Mantenha uma alimentação saudável e uma dieta equilibrada, rica em nutrientes que fortalecem o seu organismo e evite o tabagismo, o consumo excessivo de álcool e também os açúcares que podem enfraquecer o sistema imunitário e propagar bactérias na boca que podem dar origem à candidíase oral.

 

Tratamento para a candidíase oral

O tratamento para a candidíase oral envolve, geralmente, a utilização de medicamentos antifúngicos e anti-inflamatórios. O tipo de tratamento varia de acordo com a gravidade da infeção, os sintomas e idade do paciente.

Os antifúngicos utilizados para o tratamento da candidíase oral podem ser tópicos e aplicados diretamente na boca para combater a expansão do fungo.

Podem ser ainda prescritos antifúngicos orais ou intravenosos, utilizados mais frequentemente quando a infeção é mais séria ou acontece com alguma frequência. 

Para garantir um tratamento contra a candidíase oral mais eficaz, consulte um profissional de saúde e siga as instruções do seu dentista.

Garanta a saúde da sua boca, marque uma consulta na Clínica Isabel Flores Allen.

24.10.2023 Doença Oral