(+351) 221 140 070 / 915 424 402
Clínica Dentária no Porto - Contactos
(+351) 221 140 070 / 915 424 402
Doença Periodontal

A doença periodontal, também conhecida por piorreia, é uma infeção bacteriana que afeta toda a zona do periodonto – a zona das gengivas e dos tecidos que suportam os dentes.

Em Portugal, é mais comum do que imagina. Nos últimos estudos a que tivemos acesso, a periodontite – uma forma grave da doença periodontal – afetava cerca de 11% da população portuguesa.

Por outras palavras, esta é uma condição frequente e uma das principais causas para a perda de dentes em adultos. No entanto, as visitas regulares ao dentista e o diagnóstico precoce estão no centro das medidas preventivas que pode tomar.

Mas para que possa aumentar o seu nível de vigilância, é também importante que conheça os sintomas da doença periodontal e o modo como esta se pode desenvolver.

 

O que é a doença periodontal?

A doença periodontal é o termo clínico utilizado para identificar diferentes patologias que afetam as gengivas. Nesse sentido, o termo pode ser utilizado para indicar a presença da periodontite – umas das fases mais avançadas da doença periodontal – como a gengivite – uma das suas fases iniciais.

Mas se a gengivite pode ser tratada e revertida, já a periodontite é uma condição bem mais complexa.

Esta doença periodontal ataca as gengivas (tecidos, ligamentos e ossos que rodeiam e suportam os nossos dentes) e quando não é devidamente tratada, vai evoluindo progressivamente até conduzir à perda inevitável dos seus dentes.

Esta é uma condição bastante prevalente e, talvez por causa disso, algumas pessoas questionem a possibilidade de ser hereditária.

 

Doença periodontal é hereditária?

A hereditariedade da doença periodontal é um tema muitas vezes abordado em consulta. Contudo, é um mito. 

A doença periodontal não é hereditária, nem genética. É uma patologia que afeta milhares de pessoas, mas que pode ser perfeitamente prevenida e controlada, no caso de ser crónica.

Para que isso ocorra, é importante que visite regularmente o seu médico dentista, de modo a diagnosticar a doença periodontal de forma precoce e dar início ao tratamento.

Tipos de doenças periodontais

Os tipos de doenças periodontais referem-se maioritariamente às diferentes fases de evolução da mesma. Nesse sentido, podemos dizer que existem três: a gengivite, a periodontite e a periodontite avançada.

Vejamos cada uma delas.

 

Gengivite

A gengivite é a primeira fase de uma doença periodontal. Na prática, a gengivite indica uma inflamação das gengivas do paciente. Nesta fase, apenas uma parte do periodonto é afetado. 

Ou seja, os ligamentos e o osso alveolar ainda permanecem saudáveis, tendo em conta a situação. Contudo, é uma questão de tempo. 

Se não for tratada, a condição pode evoluir para uma segunda fase, mais grave: a periodontite. E, daí, para a periodontite avançada.

Além da inflamação provocada pela gengivite, é também comum as gengivas incharem e sangrarem. A boa notícia está no facto de esta ser uma condição reversível. 

Neste ponto da doença periodontal, é ainda possível o tratamento que permite controlar a gengivite e impedi-la de evoluir para a periodontite.

 

Periodontite

Quando a gengivite não é devidamente tratada, a condição evolui para a periodontite. 

Nesta fase, a doença periodontal atinge já o ligamento periodontal e o osso alveolar dos dentes, podendo mesmo destruí-los. Na periodontite, não só as gengivas sangram com mais frequência, como também se retraem, expondo a raiz do dente e criando mais espaço para que as bactérias se acumulem.

É partir daqui que a doença periodontal se pode agravar ainda mais, dando origem a abcessos periodontais e progredindo para a periodontite avançada, na qual existe uma mobilidade acentuada dos dentes.

 

Periodontite avançada

No caso de uma doença periodontal atingir o estado de periodontite avançada, existem diferentes formas de esta se manifestar. As principais são três: a agressiva, a apical aguda e a ulcerativa.

 

Periodontite agressiva

A periodontite agressiva é uma situação rara e uma forma de doença periodontal cuja progressão é rapidíssima. Ou, como o próprio nome indica, agressiva.

Nestes casos, a perda de densidade óssea ocorre de forma rápida, ameaçando a queda de dentes e dando origem a novas bolsas periodontais bastante profundas.

Nestes casos, quanto mais profundas forem estas bolsas, pior é a hipótese de a situação ser revertida.

 

Periodontite apical aguda

A doença periodontal na forma de periodontite apical aguda afeta principalmente o osso e a zona onde a raiz do dente termina – o ápice.

Embora esta seja considerada uma fase avançada da periodontite, o mais comum é ser provocada por traumas, como uma queda ou uma pancada na zona.

Mesmo assim, esta doença periodontal avançada pode ter outras origens, tais como a passagem de bactérias do interior para o exterior do dente – através do ápice – ou outros tipos de lesões dentárias.

 

Periodontite ulcerativa 

A periodontite ulcerativa é uma das formas mais graves da doença periodontal. Tal como a agressiva, a sua progressão é também muito rápida e, na sua origem, encontram-se algumas bactérias mais resistentes que ali se acumulam devido aos mais diversos fatores, desde uma higiene oral pouco cuidada até à presença de uma gengivite não tratada.

Do mesmo modo, também nesta fase a ameaça de perda de dentes é constante, a par de outros sintomas associados às doenças periodontais.

Sintomas da doença periodontal

Definir todos os sintomas da doença periodontal é um processo complexo, tendo em conta todas as suas fases e possíveis variações. Mesmo assim, alguns dos seus sintomas acabam por se verificar na maioria das situações. 

Nesse sentido, os sintomas mais comuns de uma doença periodontal são:

  • Bolsas periodontais;
  • Gengivas inchadas;
  • Gengivas retraídas;
  • Gengivas descoladas;
  • Halitose;
  • Mobilidade dentária – sensação de dentes a abanar;
  • Sensibilidade ao mais leve toque.

Além destes, podem também ocorrer outros sintomas, nomeadamente aqueles associados às condições mais graves de uma doença periodontal como, por exemplo, os sintomas de um mal-estar generalizado ou mesmo a presença de febres altas. 

 

Causas da doença periodontal

As causas para o aparecimento de uma doença periodontal podem ser inúmeras, mas a verdade é que todas elas se podem também reduzir a uma única palavra: bactérias.

Quando a placa bacteriana não é devidamente removida através de uma higiene oral cuidada e de visitas regulares ao dentista, as bactérias vão-se acumulando na boca. Desenvolvem-se e multiplicam-se numa zona fértil.

Aos poucos, a placa bacteriana transforma-se em tártaro. Por sua vez, o tártaro – uma espécie de placa bacteriana endurecida e apenas removível em consultório – vai também evoluindo. 

O tártaro vai avançando até se transformar inevitavelmente em gengivite, dando assim início à doença periodontal.

Contudo, existem outras causas para o aparecimento de uma doença periodontal. Cáries, dentes tortos ou apinhados, restaurações dentárias mal feitas e ainda certos medicamentos e outros tipos de infeções podem também estar na origem de uma doença periodontal. 

Também por aqui se nota a importância de um controlo regular por parte do médico dentista, de modo a poder prevenir-se contra a doença periodontal, diagnosticá-la a tempo e dar início ao tratamento.

 

Tratamento da doença periodontal

Naturalmente, o primeiro passo para o tratamento de uma doença periodontal é uma consulta, de modo a avaliar-se a situação e a definir-se o tratamento mais adequado. 

Em medicina dentária, a periodontologia é a especialidade indicada para o diagnostico e o tratamento da doença periodontal.

Depois de diagnosticada a condição, o paciente poderá dar início a um dos seguintes tratamentos:

Cuidados com a saúde oral

No caso de apresentar sintomas de gengivite, a sua progressão pode ser evitada com alguns conselhos acerca da sua rotina oral. 

Quando diagnosticada a tempo, a doença periodontal pode ser tratada de forma simples, escovando os dentes corretamente de modo a remover a placa bacteriana acumulada.

 

Destartarização

Em casos um pouco mais avançado, onde a presença de tártaro já é visível ou notória, a doença periodontal deve ser controlada através de uma destartarização.

A destartarização é um tratamento dentário bastante comum e fácil de realizar. Ao mesmo tempo, é também um passo fundamental para o tratamento da doença periodontal.

 

Cirurgia Periodontal

Em casos mais avançados de uma doença periodontal, é também possível a realização de uma cirurgia periodontal.

Nesta cirurgia, o médico de especialidade realiza uma intervenção na gengiva, de modo a limpar potencias depósitos de tártaro ou de placa bacteriana que se possam ter acumulado na superfície da raiz. 

Do mesmo modo, é através deste tipo de cirurgia que se corrigem também as perdas de densidade óssea dos dentes, por exemplo. 

Seja qual for o caso, o certo é que a evolução da doença periodontal deve ser monitorizada, ao longo do tempo. Isso apenas se torna possível com visitas regulares e periódicas ao seu médico dentista, de modo a garantir que tem sempre os dentes e as gengivas mais saudáveis possíveis.

12.08.2022 Doença Oral
Clínica Dentária no Porto - Drª Isabel Flores Allen Clínica Dentária no Porto - Drª Isabel Flores Allen
Fale connosco

Fale connosco

Preencha os seus dados e entraremos em contacto consigo
* Campos de preenchimento obrigatório